Loading...

segunda-feira, 25 de julho de 2011

DORMIR OU NÃO DORMIR COM PETS? EIS A QUESTÃO...

O dilema de dividir ou não a cama com o bichinho de estimação atormenta muitos donos de pet. Apesar de serem, em sua maioria, fofinhos ao extremo, é preciso cautela antes de permitir que o animal durma na mesma cama que o dono.

A veterinária Vivian Barbosa da Silva Santos garante que não há problemas em dividir lençóis, travesseiros e colchão com o bichinho. Para isso, o primeiro passo é ficar de olho na saúde do pet. A vacinação deve estar em dia. Os banhos devem ser semanais, e os vermífugos precisam ser aplicados no prazo correto.

Outro comportamento fundamental antes de dividir a cama é lavar e secar as patas da mascote depois do passeio na rua. De preferência com um secador de cabelo, o que evita que as patas fiquem úmidas.
Sem dúvida, é uma tarefa a mais, mas é o preço que se paga para quem não abre mão de dormir ao lado do pet.

Para quem acha estranho dormir na mesma cama que o animal de estimação, acredite: esse comportamento está mais comum do que se imagina. Dados da pesquisa Radar Pet, realizada este ano pela Comac (Comissão de Animais de Companhia), do Sindan (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal), mostrou que no Brasil 55% dos cachorros de estimação dormem dentro de casa.

São 23% que passam a noite no quarto dos donos e 12% que têm um dormitório só para eles. Outros 11% dormem na sala e 9%, na lavanderia ou no banheiro.

Segundo o veterinário André Santa Rosa, com a maior proximidade entre donos e cães, é natural que aumente o número de cachorros dormindo no quarto. O treinador e especialista em comportamento animal Max Macedo destaca que esse comportamento acaba refletindo na humanização do animal.

- Se o cão é criado e tratado adequadamente, não será o fato de permitirmos eventualmente que ele suba em nossa cama que trará condenação a essa conduta. O problema é que, atualmente, as pessoas confundem tratar bem um animal com tratá-lo como uma criança, e muito pior, com permissividade. Um cão é um cão e pronto, não porque sou insensível, mas por que é assim que tem de ser. O animal deve e precisa ser tratado como tal. Isso evitará aos proprietários boa parte dos transtornos comportamentais que tenho visto por aí.

O resultado negativo dessa humanização, segundo Macedo, pode ser facilmente identificado pelo dono. O animal passa a ficar agressivo sem motivos reais, apresenta dificuldade de contenção e manejo, quando é levado ao veterinário, destrói tudo dentro de casa e resolve morder os proprietários quando é contrariado. Alguns fazem até greve de fome, quando algo muda em sua rotina.

- Tudo isso é consequência da tentativa de humanizá-los.

A pediatra Jussara Fontes pontua que permitir ou não que o bichinho de estimação durma na cama com o dono deve ser individual.

- Aquele animal que vive na rua evidentemente irá trazer bactérias, micróbios e tantos outros agentes patogênicos que podem acarretar males à saúde do dono, como uma alergia, por exemplo. Daí a necessidade dos cuidados antes de permitir que o pet divida a cama com seu proprietário. Entretanto, é igualmente fundamental avaliar os benefícios que podem estabilizar os comportamentos afetivos do dono. O que aquele animal significa para a vida dele? O que estamos discutindo pode não ser simplesmente o ato de dividir a cama com o animal. Esse comportamento pode ir além disso. É preciso bom-senso antes de tomar qualquer decisão.

De acordo com Jussara, estudos realizados por especialistas em defesa de sistema imunológico revelam que as pessoas que convivem com animais têm menos propensão a desenvolver alergia ou doenças que afetem o sistema respiratório.

Donos também ficam dependentes

Não são apenas as doenças e os problemas respiratórios que tiram o sono dos donos dos animais de estimação que se propõem a dividir a cama com eles. As vantagens e as desvantagens também passam por quesitos emocionais.

A psicóloga Wanda Mendes explica que a principal vantagem do ponto de vista humano é a sensação de aconchego e prazer que a companhia do animal proporciona. Entretanto, ter o bichinho na cama pode soar muitas vezes como um retorno recompensador à correria do dia a dia, que, geralmente, impõe a falta de tempo para atividades de lazer e laços afetivos.

- Por isso, esses animais são tantas vezes tratados como crianças. É a fuga do dono que se encontra impedido de construir uma família.

Mas não são apenas os animais que estão condicionados à situação de dependência. Ao adotar esse hábito, muitos proprietários deixam de sair ou voltam mais cedo para casa, porque imaginam que o bicho não está bem. Outros até desistem de viajar, caso não consigam incluir o bicho na bagagem, e os animais ficam mais ansiosos à medida que envelhecem.
FONTE : http://blogs.jovempan.uol.com.br/petrede/bicharada/aprenda-os-cuidados-para-dividir-a-cama-com-o-pet/)
Parte superior do formulário

Parte inferior do formulário

segunda-feira, 28 de junho de 2010

O Gato - Charles Baudelaire

Vem cá, meu gato, aqui no meu regaço;
Guarda essas garras devagar,
E nos teus belos olhos de ágata e aço
Deixa-me aos poucos mergulhar.
Quando meus dedos cobrem de carícias
Tua cabeça e o dócil torso,
E minha mão se embriaga nas delícias
De afagar-te o elétrico dorso,
Em sonho a vejo. Seu olhar, profundo
Como o teu, amável felino,
Qual dardo dilacera e fere fundo,
E, dos pés à cabeça, um fino
Ar sutil, um perfume que envenena
Envolvem-lhe a carne morena.

(Tradução de Ivan Junqueira )
    

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Amo gatos, mesmo que...

 




















"Amo gatos mesmo que...
Sejam ciumentos, mordam, arranhem, miem muito, durmam 16 horas por dia e durante a noite façam uma bagunça danada, pulem da janela pra minha cabeça e vice-versa.
Amo gatos mesmo que...
Toda a roupa da casa fiquem cheia de pelos, que entrem nos armários, deitem nas roupas limpas, entrem nas gavetas e subam nos armários da cozinha.
Amo gatos mesmo que...
Tenha que limpar as caixas de areia várias vezes ao dia e tenha que limpar vômitos ocasionais.
Amo gatos mesmo que...
Quebrem meu enfeites da estante, mastigem meus livros, jogem o telefone no chão, porta retratos e tudo o mais que sirva de brinquedo.
Amo gatos mesmo que...
Sapateiem em meus papeis enquanto estudo, mastigem as fivelas das minhas sandálias e alças de bolsas.
Amo gatos mesmo que...
Piquem o rôlo de papel higiênico no banheiro, façam escalada nas cortinas da sala.
Amo gatos mesmo que...
Não tenha sobrado nem árvore nem enfeites para o próximo natal.
Amo gatos mesmo que...
Não consiguindo varrer a casa sem ter pelo menos meia dúzia atacando a vassoura e o restante brincando com o lixo.
Amo gatos mesmo que...
Meu sofá esteja em frangalhos, pois virou arranhador.
Amo gatos mesmo que...
Quando estou tentando escrever esse texto o speed não pare de miar pedindo atenção e querer passear em cima do teclado só pra eu olhar pra ele.
Amo gatos por serem lindos, elegantes, superiores, amorosos, independentes, sublimes, companheiros, divertidos, brincalhões, dorminhocos, etc, etc, etc...
Amo gatos por serem gatos."

TEXTO DA GATÓFILA LUCILA AVON
     

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Desabafo de um viralata

                      

Dizem que sou um vira-lata,                                                          
Uma espécie de coisa sem graça.
Isso é coisa da sua raça…
E você, que se diz humano, e descendente de:
Branco,Negro, Índio, Português, Holandês,
Espanhol, Japonês, Inglês.
Desse com aquele,
Daquele com aquele lá,
Daquele lá com aquele ali,
Daquele ali com aquele acolá.                                                                     
Quanta “misturação”…
Você também é um VIRA-LATÃO!
Deus não me fez de graça!
Nem me fez sem graça.
Fez-me para ser seu companheiro carinhoso,
Seu amigo, seu ouvinte.
Por isso… quero que me trate com requinte!
Com requinte, de amizade, de carinho, de bondade.
Latindo ou miando, estarei sempre atento lhe acompanhando.
Sou seu Gato, sou seu Cão.
Sou acima de tudo…
Seu Amigão!!!


Fonte: Tribo Canina

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Anexação

      
Do meu livro "A Linguagem dos Ventos"



Percebo algo, imperceptível...
Sinto a força e a leveza
Do que é sensível
E está ligado a mim,
Tão intenso seu poder.
Paro para receber sem licença
Sinto sua presença
Que existe, insiste
Em permanecer imóvel,
Incógnita...




Liege Marla

quinta-feira, 15 de abril de 2010

UM NOVO OLHAR SOBRE O GATO

        
Revista Galileu, por Paola Bello

Com seu ar enigmático, ele já foi associado a deuses e demônios ao longo da história. Hoje, após milênios de convivência com o homem, o bichano é o animal de estimação mais adaptado à vida moderna e um aliado considerável na hora de cuidarmos da nossa saúde. Interessantíssima essa matéria! São 5 páginas repletas de informação sobre os nossos amados felinos! Acessem diretamente do blog da Galileu e boa leitura:

Fonte: Sos Felinos

   

quinta-feira, 8 de abril de 2010

ODE AO GATO - Artur da Távola




Bichos polêmicos sem o querer, porque sábios, mas inquietantes, talvez porisso. Nada é mais incômodo que o silencioso bastar-se dos gatos. O só pedir a quem amam. O só amar a quem os merece. O homem quer o bicho espojado, submisso, cheio de súplica, temor, reverência, obediência. O gato não satisfaz as necessidades doentias do amor. Só as saudáveis. Lembrei, então, de dizer, dos gatos, o que a observação de alguns anos me deu. Quem sabe, talvez, ocorra o milagre de iluminar um coração a eles fechado? Quem sabe, entendendo-os melhor, estabelece-se um grau de compreensão, uma possibilidade de luz e vida onde há ódio e temor? Quem sabe São Francisco de Assis não está por trás do Mago Merlin, soprando-me o artigo? Já viu gato amestrado, de chapeuzinho ridículo, obedecendo às ordens de um pilantra que vive às custas dele? Não! Até o bondoso elefante veste saiote e dança a valsa no circo. O leal cachorro no fundo compreende as agruras do dono e faz a gentileza de ganhar a vida por ele. O leão e o tigre se amesquinham na jaula. Gato não. Ele só aceita uma relação de independência e afeto. E como não cede ao homem, mesmo quando dele dependente, é chamado de arrogante, egoísta, safado, espertalhão ou falso. "Falso", porque não aceita a nossa falsidade com ele e só admite afeto com troca e respeito pela individualidade. O gato não gosta de alguém porque precisa gostar para se sentir melhor. Ele gosta pelo amor que lhe é próprio, que é dele e ele o dá se quiser. O gato devolve ao homem a exata medida da relação que dele parte. Sábio, é espelho. O gato é zen. O gato é Tao. Ele conhece o segredo da não-ação que não é inação. Nada pede a quem não o quer. Exigente com quem ama, mas só depois de muito certificar-se. Não pede amor, mas se lhe dá, então ele exige. Sim, o gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente, é capaz de amar muito. Discretamente, porém sem derramar-se. O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano mas se comporta como um lorde inglês. Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não transa o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem. Ele vê além, por dentro e pelo avesso. Relaciona-se com a essência. Se o gesto de carinho é medroso ou substitui inaceitáveis (mas existentes) impulsos secretos de agressão, o gato sabe. E se defende do afago. A relação dele é com o que está oculto, guardado e nem nós queremos, sabemos ou podemos ver. Por isso , quando surge nele um ato de entrega, de subida no colo ou manifestação de afeto, é algo muito verdadeiro, que não pode ser desdenhado. É um gesto de confiança que honra quem o recebe, pois significa um julgamento. O homem não sabe ver o gato, mas o gato sabe ver o homem. Se há desarmonia real ou latente, o gato sente. Se há solidão, ele sabe e atenua como pode (ele que enfrenta a própria solidão de maneira muito mais valente que nós). Se há pessoas agressivas em torno ou carregadas de maus fluidos, ele se afasta. Nada diz, não reclama. Afasta-se. Quem não o sabe "ler" pensa que "ele não está ali. Presente ou ausente, ele ensina e manifesta algo. Perto ou longe, olhando ou fingindo não ver, ele está comunicando códigos que nem sempre (ou quase nunca) sabemos traduzir. O gato vê mais e vê dentro e além de nós. Relaciona-se com fluidos, auras, fantasmas amigos e opressores. O gato é médium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente a nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério. O gato é um monge portátil à disposição de quem o saiba perceber. Monge, sim, refinado, silencioso, meditativo e sábio monge, a nos devolver as perguntas medrosas esperando que encontremos o caminho na sua busca, em vez de o querer preparado, já conhecido e trilhado. O gato sempre responde com uma nova questão, remetendo-nos à pesquisa permanente do real, à busca incessante , à certeza de que cada segundo contém a possibilidade de criatividade e de novas inter-relações, infinitas, entre as coisas. O gato é uma lição diária de afeto verdadeiro e fiel. Suas manifestações são íntimas e profundas. Exigem recolhimento, entrega, atenção. Desatentos não agradam os gatos. Bulhosos os irritam. Tudo o que precise de promoção ou explicação, quer afirmação. Vive do verdadeiro e não se ilude com aparências. Ninguém em toda natureza aprendeu a bastar-se (até na higiene) a si mesmo como o gato!Lição de sono e de musculação, o gato nos ensina todas as posições de respiração ioga. Ensina a dormir com entrega total e diluição recuperante no Cosmos. Ensina a espreguiçar-se com a massagem mais completa em todos em todos os músculos, preparando-os para a ação imediata. Se os preparadores físicos aprendessem o aquecimento do gato, os jogadores reservas não levariam tanto tempo (quase 15 minutos) se aquecendo para entrar em campo. O gato sai do sono para o máximo de ação, tensão e elasticidade num segundo. Conhece o desempenho preciso e milimétrico de cada parte do seu corpo, a qual ama e preserva como a um templo. Lição de saúde sexual e sensualidade. Lição de envolvimento amoroso com dedicação integral de vários dias. Lição de organização familiar e de definição de espaço próprio e território pessoal. Lição de anatomia, equilíbrio, desempenho muscular. Lição de salto. Lição de silêncio. Lição de descanso. Lição de introversão. Lição de contato com o mistério, com o escuro, com a sombra. Lição de religiosidade sem ícones. Lição de alimentação e requinte. Lição de bom gosto e senso de oportunidade. Lição de vida, enfim, a mais completa, diária, silenciosa, educada, sem cobranças, sem veemências, sem exigências. O gato é uma chance de interiorização e sabedoria posta pelo mistério à disposição do homem.
         

OS ANIMAIS E O ESPIRITISMO

       

Para o espiritismo, os animais continuam seu processo de evolução após o desencarne, sendo assistidos por pessoas no plano espiritual. Acho muito bonita esta passagem de um livro, segue abaixo: "Muito mais do que supomos, os animais são assistidos em seu desencarne por espíritos zoófilos que os recebem no plano espiritual e cuidam deles. Notícias pela Folha Espírita (Dez. 1992) nos dão conta de que Konrad Lorenz - zoólogo e sociólogo austríaco, nascido em 1903 - o pai da Etologia (ciência do comportamento animal, que enfoca também aspectos do comportamento humano a ele eventualmente vinculados), continua trabalhando, no plano espiritual, recebendo com carinho e atenção, animais desencarnados. Também temos informações que nos foram transmitidas, pelo espírito Álvaro, de que há vários tipos de atendimento para os animais desencarnados, dependendo da situação, especialmente para os casos de morte brusca ou violenta, possibilitando melhor recuperação de seu perispírito. Existem ainda instalações e construções adequadas para o atendimento das diferentes necessidades, onde os animais são tratados. Tendo sido perguntado se os animais têm “anjo da guarda”, Álvaro respondeu que sim; alguns espíritos cuidam de grupos de animais e, à medida que eles vão evoluindo, o atendimento vai tendendo à individualização. Quanto ao reencarne dos animais, perguntou-se ao espírito Álvaro se os animais estabelecem laços duradouros entre si. “Sim, existe uma atração entre os animais, tanto naqueles que formam grupos como naqueles que reencarnam domesticados. Procuramos colocar juntos espíritos que já conviveram, o que facilita o aparecimento e a elaboração de sentimentos”. E qual é a finalidade da reencarnação para os animais? Conforme os espíritos da codificação, a finalidade é sempre a da oportunidade de progresso".

Por: Dra. Irvênia Prada (Méd. Veterinária)

Extraído do livro: “A questão espiritual dos animais” Para maiores esclarecimentos sobre o assunto, acessem também: http://marcelbenedeti.com.br/blog
      

quarta-feira, 31 de março de 2010

Recado de São Francisco de Assis

    
(À todos aqueles, que como eu, viram seu melhor amigo partir...)




Sei que uma lágrima de dor escorre dos teus olhos agora e no dia em que o teu irmão se foi, e se afastou de ti e se aproximou de Deus. Todavia, dou-te uma nota feliz neste dia tão triste: Jamais Deus teria sido injusto com os animais! Por isso, não importa quem está nascendo ou morrendo há sempre alguém chamando por ti, então, VIVA! Agora mesmo, neste exato instante em que choras, teu bicho estimado segue e evolui... Brilha na imensidão do espaço e volta,manso, ao seu aconchego das almas! Com tua mania racional, teimas continuar duvidando... Mas nada importa, senão continuar VIVER. As hostes dos anjos e Francisco cuidam das luzes em pêlos e preparam suas patas para uma nova vida. Enxuga assim teu rosto e acredita! Fizeste a parte que te cabe neste mundo. Que um sonho jamais termina num último miado e nem tampouco se pode calar os latidos de um dia... Então podemos sonhar novamente... E VIVER! É que o Criador adora as suas crias! E deixa que elas permaneçam sempre vivas, na memória de quem fica ou mesmo até que um Novo homem se forme! Porque os anjos têm asas como as aves. Porque os homens têm pelos como os bichos. E todos nós temos alma como Deus! Seja nos quintais, nas árvores ou nos rios! Seja nos mares, nas florestas ou nos lares! De uma vez por todas: Sempre estaremos VIVOS! -Autor desconhecido -
 

HOMENAGEM AO MEU “CACAU”

“Um doce de cachorrinho que virou estrelinha...”

Este era meu “filho” Cacau, cachorrinho que resgatei por maus tratos em 2003, nesta época já deveria ter uns nove anos... Um dia ele apareceu em meu pátio, tinha um “dono”, mas andava sempre nas ruas a procura de comida e carinho. Até então, não sabia que ele era mau tratado e acabava o levando de volta pra sua casa. Mas ele voltava... Pulava o muro e se encolhia em minha garagem. Estas vindas e voltas duraram três dias até que resolvi investigar com seus “donos” a situação dele. Ele apanhava (inclusive só tinha um olhinho), não recebia alimento porque eram dois cães e uma só refeição, o primeiro que chegasse seria alimentado e o outro... Cacau era menor e sempre levou a pior nesta disputa pelo alimento, acabando por procurar algo com os vizinhos... Resolvi finalmente adotá-lo. No inicio, meio arisco, ficava só na garagem, aos poucos foi ganhando espaço dentro de minha casa e claro, em meu coração! Foram sete anos de muito companheirismo, de carinho, de proteção, de amor incondicional. Uma troca que jamais entre seres humanos existirá com tanta pureza e sinceridade... Mas o tempo é cruel e a vida segue em sua missão, deixado que a morte tome seu lugar. Em 30 de março de 2010, às 23 h, meu Cacau virou a estrelinha mais brilhante do céu, pelo menos para mim. Ficará lá de cima, me olhando, me protegendo e amando sempre, do mesmo jeitinho meigo que me cativou e me fez conhecer o melhor sentimento do mundo!! Vá em paz meu amor, tenha a certeza que você me fez muito feliz, por isso insistiu tanto em fazer parte de minha vida, era este teu propósito, né? Fazer com que eu tivesse certeza que o ÚNICO amor que vale de verdade é este!! Ele não exige, ele só dá e recebe, ele não agride, só traz alegrias. Ele não ultrapassa limites, vem na dose certa para nos fazer mais humanos. Só espero que eu também tenha te feito um cãozinho feliz, meu anjo! TE LEVAREI SEMPRE COMIGO, TE AMAREI NESTA E EM OUTRAS VIDAS... E QUEM SABE AINDA POSSAMOS NOS ENCONTRAR UM DIA? “Que Jesus e São Francisco cuidem de tua alminha e te levem para o céu dos animais, onde todos correm livres e brincam felizes ao lado dos anjos que os protegem, onde não existe maldade, só a paz que vocês merecem...” Com muita saudade... Liege

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Ciência comprova a importância da convivência com gatos

               
Perseguidos em diferentes épocas e vítimas históricas de preconceito, os gatos estão ganhando absolvição por meio de um papel inesperado: o de amigos e “terapeutas”. Em seu recém-lançado livro “La Ronron Thérapie”, a jornalista francesa Véronique Aïache explica, devidamente ancorada por trabalhos científicos, como o convívio com um bichano pode melhorar a vida das pessoas. Ela relata, por exemplo, pesquisas como a do veterinário francês Jean-Yves Gauchet, que testou o poder do ronrom – o som emanado pelos gatos quando estão em repouso – em 250 voluntários, submetidos a uma gravação de 30 minutos do ruído de Rouky, o gato do veterinário. Ao fim do estudo, os participantes declararam sentir mais bem-estar, serenidade e uma facilidade maior para dormir. O poder tranquilizante dos felinos foi o porto seguro da gerente comercial Cris Sakuraba, 46 anos. “Não desmerecendo o medicamento, mas minha gatinha mudou minha vida”, diz. Cris sofria de ansiedade, stress, depressão e agorafobia (medo de espaços abertos ou aglomerações), doenças que estavam minando sua qualidade de vida.“Agora estou 95% curada dos problemas.” A terapeuta Marisa Paes afirma que é capaz de fazer até quem não gosta dos bichanos se beneficiar da presença deles. “Mesmo quem tem medo de gato me procura. Comigo como mediadora, a pessoa vai se desbloqueando”, afirma. Os tratamentos terapêuticos envolvendo animais começaram a ser desenvolvidos no Brasil no começo da década de 50, pela psiquiatra Nise da Silveira. O tratamento foi uma alternativa com resultados palpáveis às terapêuticas agressivas, como lobotomia e eletrochoque. “Com o gato ronronando no colo, por exemplo, a pessoa desacelera, pois ocorre a mudança de frequência das ondas cerebrais do estado de alerta para o relaxamento”, diz Hannelore Fuchs, doutora em psicologia e especialista na relação do ser humano com o animal. Faz sentido. A frequência do ronrom é entre 25 e 50 hertz, a mesma utilizadas na medicina esportiva para acelerar cicatrizações e recuperar lesões. No ano passado, a gigante de tecnologia Apple lançou em parceria com o veterinário Gauchet um aplicativo para iPhone que usa o ronrom para amenizar os efeitos que a diferença de fuso horário em viagens provoca. Um estudo de 2008 da Universidade de Minesota, nos Estados Unidos, mostrou que um bichano em casa reduz em até 30% o risco de ataque cardíaco, por ajudar a relaxar e aliviar o stress. Só não pode ser alérgico a pelos.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Livros novos em breve!

***** Oi Pessoal! Estive afastada deste blog em função de estar envolvida em meu outro Blog de defesa animal: http://cobea.protegendoanimais.blogspot.com/ Mas gostaria de informá-los que para 2010 serão lançados novos livros um deles é o Rastros de Escorpião (Crônicas) e tenho projeto para mais dois: "O Silencio da Ruas" (romance) e "Heróis Animais de Rua" (histórias reais vividas em minha experiência como protetora de animais e algumas ficções)

terça-feira, 2 de junho de 2009

Alma Felina



Forte, espírito forte, gênio complicado.
Vai da mansidão à ferocidade.
A quem ama, adora, venera
De quem odeia, mantém distância
Distância segura, porém a postos,
Com as garras sempre preparadas, vigia,
Porém, na mansidão quer carinho, faz carinho,
Retribui na mesma intensidade o bem e o mal
Que recebe das pessoas
Com intensidade, ama
Com intensidade, odeia
Com intensidade, confia
Com intensidade, desconfia...
Ronrona pela vida, espreguiça-se ao inconveniente,
Anda com passos seguros e firmes,
Ao mesmo tempo cautelosos e zelosos,
Ao ver a caça, olhar fixo, atenção completa
Olhar fixo, idéia fixa
Em sua caça, em suas metas
Espírito inconstante, inquieto
Jeito felino, Alma felina.

(Carla Curci)

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Ser sábio

Sábio é aquele que permite descobrir, que reconhece a importância de aprender o novo, que abre seu coração para sentir e ouvir... Sábio é aquele que permanece em silêncio, observando os passos da mente, as fragrâncias, os lugares escondidos dentro do seu ser... Sábio é aquele que ouve antes de falar, que sorri antes de chorar, que permanece quieto para sentir o frescor da noite em seu interior. Sábio é aquele que diz sim para a vida, que desperta o amor em si e em seu semelhante, na intenção de criar um mundo melhor a todos nós. Sábio é aquele que ama seu irmão que vê, como ama a Deus que não vê. Sábio é aquele que vive e sabe viver

Gatos não morrem jamais!

Gatos não morrem de verdade: Eles apenas se reintegram no ronronar da eternidade.
Gatos jamais morrem de fato: Suas almas saem de fininho atrás de alguma alma de rato. Gatos não morrem: Sua fictícia morte não passa de uma forma mais refinada de preguiça. Gatos não morrem: Rumo a um nível mais alto é que eles, galho a galho, sobem numa árvore invisível. Gatos não morrem: Mais preciso, se somem, é dizer que foram rasgar sofás no paraíso. E dormirão lá, depois do ônus de sete bem vividas vidas, seus sete merecidos sonos ...
Nelson Ascher - (Parte alguma. São Paulo: Companhia das Letras, 2005)

Então... Já é novo ano!

As expectativas neste recomeço é que dão forças pra novas conquistas, mas é preciso lutar por elas e jamais fraquejar diante a qualquer decepção e sim ter consciência da força interior que temos. O que nos move e nos motiva, é saber que a vida está aí, dando chances pra acertar, pra errar e aprender com estes erros, pra amar, pra servir ao próximo e à natureza de um modo geral.
Amigos, é preciso fazer a diferença, não estamos aqui a passeio, então, vamos erguer nosssas manguinhas e fazer algo que não seja apenas em nosso benefício, vamos ter ética em nossas escolhas e sabedoria pra poder desfrutá-las sem culpas...
Um grande beijo e feliz 2009!!!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Meio assim...

Às vezes a gente se sente assim, meio perdida no tempo e no espaço... Meio sem rumo, meio cheia de conflitos na cabeça... Mas aí lembramos que não estamos sózinhos, que temos pessoas queridas que compartilham coisas boas com a gente, amigos com quem podemos dividir nossos gostos, nossas paixões. Tem aqueles que discordamos, mas respeitamos, pois cada um teu seu espaço próprio que não pode ser invadido. Ver um mundão imenso à nossa frente e saber que eles está todo aí pra gente explorar cada centímetro e uma vida cheia de surpresas pra nos mostrar o que buscamos ver e às vezes o que queremos ocultar, me entusiasma pra ir sempre em frente, com força e fé. Isto também me conforta...
E aos amigos de longe e de perto, quero dizer que todos, são importantes pora mim e que fazem a diferença nos meus dias... Obrigada por estarem no meu círculo seleto de parceiros... Beijos!!!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Um pouco de poesia...

Poema à minha mãe Há muito tempo não te ouço, Não te dou atenção, Há tempos que não te abraço, Não te estendo a mão. O tempo passa depressa... Já não trago comigo As purezas da minha infância, Meu sorriso de criança, Que tanto te encantva... Nossas brincadeiras ou as canções Que cantavas para eu dormir... O tempo avança, nos trái ! O amor não se desfaz, mas é esquecido Como que adormecido Para não cedermos, nem sermos fracos Na hora da despedida Que sempre chega, amiga querida... Pelo amor que te tenho e pelo respeito, Não vou chorar, sentir saudades. Te levarei comigo, dentro do peito Lugar perfeito para seguirmos juntas.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Tá faltando humanismo!!

Hoje me deparei com uma cena que me deixou triste... Aliás todos os dias isto acontece e fico só observando a reação das pessoas: quando estou indo pro trabalho, de manhã, encontro um senhor já de idade passeando com seu cãozinho Max e quando ele passa pelas pessoas sempre cumprimenta com bom dia! Na maioria das vezes é ignorado ou visto com olhos de... "ué, não te conheço..." e aí me pergunto se custa retribuir uma atitude tão gentil, onde guardaram a lição que Jesus nos ensinou de amarmos uns aos outros (uns realmente nem merecem...). Este senhor é uma doce criatura que aprendi a gostar, a conversar, a dar um bom dia mesmo que ele ainda não tenha me visto, além disto, seguro na patinha do Max que fica todo faceirinho! Não quero servir de exemplo pra ninguém, porque tenho defeitos pra caramba, mas nisto gostaria que se espelhassem, pois gestos tão simples fazem uma grande diferença! Imaginem que mundo melhor teríamos, se realmente gostássemos de nossos irmãos como semelhantes e filhos do mesmo pai... Tá faltando sentimento, amor, sensibilidade, caridade... Enfim, o ser "humano" só rega em si o egoísmo, a vaidade, a ganância e o desamor. Vamos repensar os caminhos que estamos seguindo, vamos refazer nossa estrada (ainda há tempo), não percamos a esperança de que tudo possa ser diferente e que possamos viver em paz, harmonia e solidariedade com as pessoas e a natureza... Beijos !!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Já é fim de ano...( só um desabafo !)

Estas datas de final de ano me deixam um pouco pra baixo, lembro-me de tanta coisa boa que já não tenho mais... Principalmente da família, os que seguiram para outro plano e os que estão aqui comigo mas que tenho saudades, queria vê-los mais ! Sinto falta da infância, da pureza, da simplicidade das coisas, do amor perfeito, enfim, de todos estes anos que me tornaram quem hoje sou. Mas também tem seus momentos bons, para aqueles que ainda tem uma família completa, é bom trocar abraços, fraternidade, dizer o quanto amam e o quanto são importantes para seus pais, irmãos, amigos queridos, bichinhos amados... É hora de sentir mais perto a presença de Cristo em nossas vidas, o amor e a fé que jamais acabam para aquele que realmente nele crê. E vivam nossos amores, viva a natureza, o sentir-se bem por estar vivo! Sejam felizes... tenham um ótimo Natal e um 2009 todo pela frente pra renovar-se a cada dia e fazer de cada um deles, o melhor dia de nossa vida!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Mais um ano...

Pois é pessoal, 15 de novembro, mais um aninho vivido. São 48 de muita experiência, alegrias, tristezas e algumas perdas... Irreperáveis, mas que deixaram um sentimento muito forte dentro de mim. E sabem o que mais gosto na vida, a própria vida que nos ensina a cada dia como as coisas mais simples são as que nos fazem realmente felizes. Acordar e sentir o cheiro da manhã, um ar ainda não poluído, grama, canto dos pássaros, meus bichinhos (são 7 !) , um café da manhã gostoso e depois... o trabalho! Que apesar de muitas vezes nos chatear, nos leva a fazer parte de uma comunidade da qual precisamos participar de alguma forma, é nosso ganha pão e nosso sono tranquilo... Enfim, gosto de dias de chuva, de sol com um pouco de vento, gosto de meus amigos, da natureza em toda a sua beleza infinita... Amo minha familha (do céu e da terra), amo Deus, Jesus e São Francisco, que me protejem todos os dias. Amo a vida acima de tudo e queria poder viver pelo menos o dobro da idade que tenho, com saúde, paz no coração e com amigos queridos e sinceros como voces. Quem é importante para mim, sabe quais amigos que falo... Um grande beijo na alma de cada um de voces!!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Queridos amigos...

Passei por aqui hoje só pra dar um "oizinho" e duas dicas. Pra quem gosta de arte como eu, indico dois sites muito interessantes: - www.olhares.com - fotos dos mais variados tipos, agradando a todos os gostos, vale a pena acessar. - www.toucanart.com - pinturas a óleo e molduras, também nos mais variados temas. Visitem !! Beijos mil

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Saudades...

BOB ANJINHO
Domingo, dia 02, completaram 03 meses do desaparecimento de meu amado gatinho BOB. Pensei que estava superando sua ausência, mas tive uma crise de dor e saudade muito grande. Que me desculpem aqueles que tem, mas para mim, ele era e é um filho e só quem tem e ama profundamente estes seres tão puros, sabe dar valor a eles e reconhecer a riqueza que colocam em nossas vidas com este convívio, com este dar sem esperar nada em troca além de um pouco de carinho, atenção, amor... Onde quer que ele esteja, que São Francisco proteja-o sempre !!!

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Voltei !!

É pessoal, andei meio sumida e nem foi por falta de tempo, foi por uma onda de baixo astral já superada (graças a Deus). Outubro foi um mês de dúvidas que me levaram a tomar importantes decisões ! Meio confusa, mas já com a cabeça organizada e em dia pra funcionar. Estava com saudades de postar algumas coisinhas... Mas não tenho grandes novidades por hora, só gostaria de desejar um ótimo dia à todos e aguardem porque voltei cheia de inspiração...
" A fé pode ficar abalada, mas nunca o amor infinito que temos por Deus e seu filho "

domingo, 28 de setembro de 2008

Proposta pra voces

Idéias, idéias...
Uma vez, um grupo de amigos me pediu que escrevesse sobre algum assunto de seu interesse. Cada um deu uma idéia sobre temas, muitas vezes ligados a sua própria vida, algum problema que estivesse enfrentando, uma alegria conquistada, uma saudade, um amor, qualquer tema mesmo. E assim, fiz várias crônicas, só que na época entreguei a eles, e por ser pessoal, não divulguei. Ajudei algumas pessoas a superar seus problemas, porque eles receberam minhas palavras como conselhos. Que bom ! Hoje, minha proposta é justamente esta. Agora eu que sugiro, não que me faltem idéias, mas acredito que isto possa ajudar aqueles por quem tenho um carinho especial e até quem nem conheço ainda... Então, vamos lá ! Estou aguardando sua participação (nomes não serão divulgados) e se você não quiser postar aqui através do link de comentários, poderá enviar e-mail para: liegemarla@hotmail.com ou lica1515@hotmail.com Um grande abraço à todos e fiquem com Deus !
"O verdadeiro amigo, é aquele que supera junto as dificuldades de quem ama"

sábado, 27 de setembro de 2008

Mais poesias...

Do livro "A Linguagem dos Ventos" INSPIRAÇÃO Nem sempre revela-se em nós o dom de criar mesmo que acesa a idéia de renovar pensamentos e aperfeiçoar palavras, vem assim de repente esta inspiração que cega toda a razão criando espaço para viagens mais loucas e destemidas "Tudo pode ser verso, todas as sensações são motivos para buscar o universo" TOQUE SUAVE A brisa toca no corpo assim, feito carinho ingênuo assim, feito toque suave, pleno cheio de prazer. A brisa toca no corpo como teus braços, envolve como proteção, implode diante a tanta explosão. Sinto cheiro no tato toco o céu como tudo que faço cabelo ao rosto, forte respiração - lindo ! - a vida com total emoção. Sinto toque suave deixa a pele livre, recebe todos os sentidos

Levantando o astral

Viver é a melhor coisa que exite !
Ao ver um lugar como este, de cima das montanhas, o sol radiante dando vida à todos os seres, pássaros e ar livre, não tem como não agradecer por estarmos vivos. Só o fato de fazermos parte de uma natureza tão linda, já é uma benção muito grande que devemos valorizar a cada dia de nossas vidas. Infelizmente nem todos tem esta percepção... Tem gente que reclama de coisas tão pequenas, tem aqueles que nada fazem , vivem na inércia como se esperassem a morte. Já conheci pessoas que se dizem infelizes, não compreendendo que a vida é a própria chance que Deus nos deu, de podermos buscar a felicidade, sempre! E esta felicidade vem da alma, vem da verdade de sentimentos mais puros, vem da amizade sincera, de um abraço caloroso e forte ou de um olhar meigo. Vem da companhia dos animais, da paz, da liberdade ou de um simples sorriso, até da respiração ! (Fechem os olhos e respirem fundo pra sentir a vida que inspiram). Quem lê o que escrevo, pensa que sou uma pessoa de posses, que tenho todas as coisas que quero, mas não é nada disto. Posso não ter nada, mas tenho paz em meu coração. Posso ter conseguindo quase nada durante estes anos, mas tenho força pra seguir e só esta vontade me impulsiona para a vida e para felicidade. Quem busca apenas o "material", esquece de aquecer seu próprio corpo, é uma pessoa "gelada" (mais que fria!) e para estas, resta meu lamento por serem tão pequenas... Pois é pessoal, é isto aí... Pensem um pouco nisto e reavaliem a maneira que estão conduzindo seus próprios destinos. Ainda há tempo de recomeçar noutra história mais digna de ser vivida. Há recompensas depois, voces sabem disto e por mais e maiores dores que tenham nos despedaçado, temos que juntar os cacos e deles, fazer o alicerce para uma grande construção. Beijos e fiquem em paz.

Virada

É preciso renovar !
Se for preciso, eu mudo e refaço toda minha vida, se for preciso recomeço sem medo. Pelo bem de meus dias e os dias que restam devem ser perfeitos, devem carregar o efeito de tudo o que fiz e do que ainda não foi feito, devem ter luzes e paz, risos e animais... Devem ter pureza e sinceridade, família e o carinho daqueles que amo. Mas se preciso for, dou uma virada e faço tudo pelo avesso, faço de novo e diferente. Por amor à vida, pelas batalhas vencidas e pelo que ainda virá, o que por certo me fará vivenciar um grande dia, do reencontro, dos antigos amores, da inocência, da infância, da distância que manterei daqueles que quiseram me fazer mal, mas não conseguiram! E sabem por que? Porque acima de tudo eu tenho força e fé e nada me deterá, nada me derrubará! Basta ter a coragem de aceitar estas coisas que nos empurram pra frente. O negócio é ser certo e diferente, ser bom e ser puro, e mais que tudo, alguém que busque pelo menos chegar perto do que se possa chamar de “A imagem e semelhança de Deus” E que ele nos proteja...

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Animais sem destino

O que podemos fazer por eles? Acordo cedo e abro a janela para receber mais um lindo dia, mas vejo cenas que me entristessem: Vejo um cão faminto comendo lixo, vejo um homem que atira água nele, para que saia de frente da sua casa, onde faz, provavelmente, sua única refeição, por quanto tempo, não sei... Covardemente fecho a janela e os olhos, mas peço a São Francisco de Assis, que proteja aquele animalzinho tão indefeso e frágil. Sigo o meu dia, tenho muitas coisas pra fazer, logo mais vou sair. Saio em busca de tantas coisas, dia comum de trabalho, vou ao banco, correio, faço tudo certo, rápido e volto pra casa. Mas quando andei por aí, ainda vi coisas que não gostaria de ter visto. No centro da cidade, em frente a bares e lanchonetes, mais animais abandonados, ignorados, com um semblante de fome, implorando um pouco de comida e atenção, mas as pessoas passam por eles como se fossem invisíveis, ninguém percebe que eles tem sentimentos mais fortes e melhores que os nossos, ninguém se compadece, ninguém nada! E eu, mais uma vez, covardemente, volto pra casa, inerte e impotente diante a tanto descaso. Mas já sei o que fazer: - Quando chegar, à noite , reunirei restos de comida, colocarei num pote e deixarei do lado de fora do muro para que algum cão faça sua refeição. Aquele animal faminto pode passar por aqui novamente e na madrugada, ninguém o enxotará, ninguém lhe dirá “chô!”, com um balde d’água nas mãos. Então, terei feito minha parte.

Terei mesmo feito a minha parte ??

Gatos da minha vida

"A mais fascinante criatura de Deus"
Meu amor e fascínio pelos gatos começou cedo. Aos 5 anos de idade, ganhei um gatinho prêto, lindo, chamado Bolinha, ele viveu até seus 17 anos , marcando minha infância e juventude, pois foi durante este tempo que descobri o quanto é mágico e misterioso este pequeno ser. E tem mais, só quem convive e tem um contato muito forte com eles, pode constatar o que digo. Os anos se passaram e mais gatos vieram, mas citarei abaixo os mais marcantes, pois muitos (infelizmente) não sobreviveram por muito tempo...
Bob, um "grande" gato: Grande, por ser perfeito em todos os sentidos, quase humano, melhor que humano, o anjo que veio para mostrar o amor em sua maior forma de expressão, só que após quase 10 anos, já não sei onde anda, o que aconteceu. Num sábado qualquer, ele rumou para outro destino. Qual ? Não sei... A saudade é grande e ele ficará comigo até o dia em que nos reencontraremos, (no céu, com certeza). Negrinha, doce panterinha: Um dia apareceu mansa em minha vida. Gata de rua, de lugar qualquer, de nenhum e de todos. Felina vivida, sofrida, abandonada e mãe (diversas vezes), quando resolveu junto comi- go, que seríamos uma só. E fomos e somos até hoje... Olivinha, a princesinha: Enigma e magia que vem da beleza e sinceridade de um olhar felino, enfeitiçan- do com seus lindos e grandes olhos. Hoje adulta, mas com a mesma meiguice de quando era um bebê. Arisca, mas carinhosa quando quer. Carente e independente como só um gato sabe ser, uma combinação perfeita da leveza, agilidade e de um mistério que jamais será desvendado...

Tem mais histórias com gatinhos, aguardem...

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Toda magia viva

"No apogeu da vida, surge luz que floresce, toque jovem, magia" Do livro "A Linguagem dos Ventos" - 1ª parte MORTE-LUZ Senti que aos poucos se fazia, na tela ainda virgem, leves traços de um rosto que timidamente sorria adivinhando o sol que lentamente surgia sobre tua pintura... Ao longe, te vi contemplando, querendo vida pra tua musa fui chegando, me aproximando não quis te assustar, mas teu rosto pálido me fez recuar mesmo assim resolvi ver quem pintavas e então me surpreendi a ver a imagem refletida de um rosto que era o meu e já com vida, se movia PODE SER... Pode ser que a vida me ensine as coisas que o mundo esqueceu o que posso querer, o que posso ter. Pode ser que tudo se abra e na ascendência de meus anos, encontre a verdade sem preconceitos que nos afastem da realização. Pode ser que a alma voe por ares mais limpos, sem a pressão, depressão que enlouquece. Pode ser que tudo se faça mais livre, mais fácil, mais simples... Pode ser que ainda se possa sonhar, viver e continuar vivos! Que as luzes nos ajudem a encontrar a saída deste túnel, que na hora exata, a vida se faça melhor e intacta, mais nossa, mais vivida.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Meus livros

Há mais ou menos 15 anos publiquei meu primeiro livro "A Linguagem dos Ventos", nele você encontra poesias que falam um pouco da minha experiência em cada etapa da vida. Coisas que se identificaram com muitos de meus leitores (dito por eles). Magias que se refletem na juventude, passagens deste mundo insano e ao mesmo tempo maravilhoso, a ardência de toda paixão permitida e reflexões sobre diversos momentos da vida.
"TUDO PODE SER VERSO, TODAS AS SENSAÇÕES SÃO MOTIVOS PARA BUSCAR O UNIVERSO" Em breve estarei postando alguns poemas que constam neste livro e até o final do ano, lançarei "Rastros de Escorpião", este não é de poesias e sim de crônicas sobre os mais variados temas do nosso dia a dia. Aguardem, vem mais coisa por aí...

Um abraço e até mais !