Loading...

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Animais sem destino

O que podemos fazer por eles? Acordo cedo e abro a janela para receber mais um lindo dia, mas vejo cenas que me entristessem: Vejo um cão faminto comendo lixo, vejo um homem que atira água nele, para que saia de frente da sua casa, onde faz, provavelmente, sua única refeição, por quanto tempo, não sei... Covardemente fecho a janela e os olhos, mas peço a São Francisco de Assis, que proteja aquele animalzinho tão indefeso e frágil. Sigo o meu dia, tenho muitas coisas pra fazer, logo mais vou sair. Saio em busca de tantas coisas, dia comum de trabalho, vou ao banco, correio, faço tudo certo, rápido e volto pra casa. Mas quando andei por aí, ainda vi coisas que não gostaria de ter visto. No centro da cidade, em frente a bares e lanchonetes, mais animais abandonados, ignorados, com um semblante de fome, implorando um pouco de comida e atenção, mas as pessoas passam por eles como se fossem invisíveis, ninguém percebe que eles tem sentimentos mais fortes e melhores que os nossos, ninguém se compadece, ninguém nada! E eu, mais uma vez, covardemente, volto pra casa, inerte e impotente diante a tanto descaso. Mas já sei o que fazer: - Quando chegar, à noite , reunirei restos de comida, colocarei num pote e deixarei do lado de fora do muro para que algum cão faça sua refeição. Aquele animal faminto pode passar por aqui novamente e na madrugada, ninguém o enxotará, ninguém lhe dirá “chô!”, com um balde d’água nas mãos. Então, terei feito minha parte.

Terei mesmo feito a minha parte ??

Nenhum comentário: