Loading...

segunda-feira, 28 de junho de 2010

O Gato - Charles Baudelaire

Vem cá, meu gato, aqui no meu regaço;
Guarda essas garras devagar,
E nos teus belos olhos de ágata e aço
Deixa-me aos poucos mergulhar.
Quando meus dedos cobrem de carícias
Tua cabeça e o dócil torso,
E minha mão se embriaga nas delícias
De afagar-te o elétrico dorso,
Em sonho a vejo. Seu olhar, profundo
Como o teu, amável felino,
Qual dardo dilacera e fere fundo,
E, dos pés à cabeça, um fino
Ar sutil, um perfume que envenena
Envolvem-lhe a carne morena.

(Tradução de Ivan Junqueira )
    

Um comentário:

Claudio Olivio disse...

A lembrança da mulher amada, despertada pela sensualidade do pequeno felino. Ninguém jamais escreverá novamente sobre Gatos como escrevia Baubelaire.